cachorro com medo de fogos de artifício

Cachorro e o medo de fogos de artifício: saiba o que fazer

Você sabe como lidar com o cachorro e o medo de fogos de artifício? É comum que os tutores de pets fiquem apreensivos quando há comemorações nas quais costuma-se fazer a queima dos fogos de artifício, como o Ano Novo, jogos de futebol, demais competições esportivas e outras festas. 

Essa apreensão acontece porque é sabido que os cachorros ficam altamente incomodados com o barulho alto e os estrondos produzidos pelo estouro dos fogos. Porém, já que não é possível impedir as pessoas de fazerem essa celebração, quais são as melhores maneiras de lidar com o cachorro e o medo de fogos de artifício? 

Confira nossas dicas e saiba como ajudar o seu pet a ficar mais tranquilo durante a queima dos fogos e proporcionar um maior bem-estar a ele.

– Veja também: Como cuidar bem do seu cachorro? Dicas para novos tutores 

Porque os cachorros têm medo dos fogos?

O principal motivo que pode fazer com que o cachorro tenha medo dos fogos de artifício está relacionado com a sensibilidade do sistema auditivo canino. Isso porque os cães têm ouvidos que são capazes de ouvir timbres inaudíveis para os humanos.

Assim, ruídos muito altos, como os causados pelos fogos de artifício, podem causar incômodo, dor e até mesmo prejudicar a audição do pet. 

Porém, além desse motivo, existem outras razões que podem causar ao cachorro o medo dos fogos, sendo elas: 

  • Senso de ameaça, ou seja, o pet se sente ameaçado e fica arisco;
  • Medo do desconhecido; 
  • Gatilho de estresse;
  • Medo “genético”, que pode acontecer caso o cão tenha uma mãe muito medrosa, já que o medo é um sentimento aprendido e reforçado desde que o cachorro é filhote. Caso ele conviva com essa mãe, pode também se tornar um cão mais medroso. Por isso é tão importante que os tutores incentivem o cão a fazer uma boa socialização, permitindo que ele conheça novas pessoas e sons desde o início da vida.

Cachorro e o medo de fogos de artifício: como cuidar do seu pet durante a queima dos fogos? 

1. Faça com que o pet sinta-se seguro

Para lidar da melhor maneira com o cachorro e o medo de fogos de artifício o ideal é tentar deixar o pet confortável e seguro. Por isso, prepare com antecedência o espaço em que o cão estará durante a queima dos fogos. 

Faça um “esconderijo” para que ele possa se abrigar durante o período da queima de fogos. Cobertores e brinquedos que deixam o cão mais tranquilo podem estar presentes nesse esconderijo. Além disso, é possível usar protetores auriculares próprios para pets, reduzindo o impacto do barulho.

cachorro assustado usando protetor auricular

Lembre-se, também, de fechar bem as portas e janelas, já que isso evitará a fuga do pet e, também, reduzirá a altura do ruído dos fogos. Você pode, inclusive, colocar cobertores nas portas e janelas, para abafar ainda mais os sons. 

2. Evite deixar o pet sozinho

Preparar o ambiente para a segurança e tranquilidade do cão é muito importante. Porém, mais do que isso, o ideal é estar presente durante a queima dos fogos, evitando deixar o cachorro sozinho durante esse período. 

3. Distraia o pet com petiscos, brinquedos e sons

Outra forma de lidar com o cachorro e o medo de fogos de artifício é mantê-lo entretido. E esse entretenimento pode ser feito de algumas formas:

  • Distrair o cão com mordedores e brinquedos “recheáveis” — nos quais você pode colocar ração dentro e o pet precisará “se esforçar” para conseguir comer os grãos;
  • Colocar um som ambiente confortável para o cachorro. Em diversas plataformas de streaming, como o Spotify e o Youtube, por exemplo, basta você pesquisar por músicas para acalmar/relaxar cães que encontrará boas opções de playlists especiais para esses momentos. 

4. Tente uma abordagem diferente: com antecedência, acostume o pet com os barulhos de rojões 

Além das abordagens anteriores, você pode tentar uma diferente, em que o objetivo é fazer com que o pet sinta-se menos incomodado com os barulhos de fogos e rojões.

Para isso, a dica é utilizar uma fonte de ruído controlada, como vídeos ou áudios de fogos e rojões. Comece colocando o som bem baixinho no ambiente em que o pet está. 

Enquanto você faz isso, aproveite para distrair o cão, brincar com ele, fazer carinho e agir “naturalmente”. 

Percebeu que o cachorro não ficou incomodado com os barulhos? Então aumente o som aos poucos, ao mesmo tempo em que você continua mantendo-o distraído e entretido. 

Assim, é possível que o pet não associe os barulhos de rojões a algo negativo e saiba que, mesmo com os estrondos, ele está seguro.

cachorro escondido debaixo da cama com medo dos fogos de artifício

Cachorro e o medo de fogos de artifício: o que não fazer

Além das dicas que podem te ajudar a lidar da melhor forma com a queima de fogos de artifício, também é legal ressaltar algumas ações que devem ser evitadas durante este momento.

Dentre elas, a primeira é o uso de sedativos. Os sedativos só devem ser utilizados com a indicação de um médico veterinário. Assim, por mais que seja desconfortável ver o pet incomodado durante a queima de fogos, não use sedativos por conta própria, essa nunca será a melhor solução.

Outra ação a ser evitada é a de sair de casa com o pet para que ele possa “desestressar” ou algo do tipo. Ele já estará lidando com uma situação incômoda, ir para outro lugar e encontrar outras pessoas e animais pode fazer com que ele sinta-se ameaçado ou desconfortável, podendo até mesmo ter reações mais agressivas. 

Também não brigue ou seja ríspido com o seu cão ao perceber um comportamento dele relacionado ao medo. Entenda que ele não tem culpa de estar naquela situação e busque ter compaixão e paciência com o pet. 

Esperamos que as nossas dicas te ajudem a lidar melhor com o cachorro e o medo de fogos de artifício. E que tal conferir outras matérias relacionadas ao cuidado com os pets? Acesse: 

Fonte(s): 

Ative, DogHero, Petlove (1), Petlove (2) e Petz.